Arquivo da categoria: Sem categoria

Churrasco magro também é saboroso!

Quem não gosta de um churrasco no final de semana? Refeição favorita dos brasileiros, principalmente nas férias e em dias de sol, o churrasco guarda muitas armadilhas calóricas para quem está fazendo dieta. No entanto, com os cuidados adequados, é possível aproveitar uma refeição saborosa, riquíssima em diversos nutrientes e, o melhor, com poucas gorduras! Confira o que as nutricionistas aconselham e invista no churrasco amigo da sua dieta.

Cortes magros de carne vermelha

A nutricionista Camila Attademo, da Clínica Libert, explica que o miolo de alcatra é a melhor escolha quando o assunto é um churrasco saudável: “Além de saboroso, esse corte é o mais magro”.

Porém, pelo fato de terem pouca gordura, essas carnes podem ficar muito secas depois de assadas, mas basta não esquecê-las na churrasqueira. Se você não resistir a carnes mais gordas, como a picanha e o filé mignon, retire a capa de gordura. “Também evite a costela suína e bovina, que são bastante gordurosas”, explica a nutricionista Patrícia Bertolucci, da PB Consultoria em Nutrição.

Fonte: minhavida.com.br   Por Carolina Serpejante

PetraMedicina

chu-dest

ch

Novembro Azul. Apoiamos essa causa!

A Campanha Novembro Azul intensifica neste mês a prevenção e o tratamento da saúde do homem, em especial contra o câncer de próstata. Em 17 de novembro é comemorado o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, segundo que mais mata homens no Brasil. No geral, é o sexto tipo mais comum no mundo e o mais prevalente em homens.

A ação, que atualmente é comemorada em todo o mundo, teve início na Austrália, onde leva o nome de Movember – junção das palavras moustache (bigode, em inglês) e november (novembro).

As instituições brasileiras estão engajadas na causa! Confira notícias abaixo:

Aumento da expectativa de vida da população pode elevar a mortalidade por câncer de próstata

“Com o aumento da expectativa de vida da população brasileira, nos próximos anos, poderá haver aumento do número de mortes decorrentes do câncer de próstata”, a afirmação é do urologista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, de São Paulo (SP), Fernando Almeida. A patologia é uma doença de progressão lenta, que atinge homens a partir dos 45-50 anos. Após o surgimento do PSA, exame que detecta a doença, o diagnóstico passou a ser realizado em idade mais precoce.

De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), estima-se que, no Brasil, surjam 61.200 novos casos em 2016, ou seja, a cada 100 mil homens, 54 terão a doença. Hoje, o câncer de próstata é o segundo mais comum na população masculina em todo o mundo. Mesmo com a evolução dos métodos de diagnóstico, o homem não busca a prevenção.

“O preconceito diminuiu bastante ao longo dos anos, e poucos homens ainda não se previnem contra o câncer de próstata, porque o exame para detectá-lo é desconfortável”, salienta Almeida. De acordo com o médico, o público masculino sabe a importância deste exame, mas acaba sempre adiando a consulta.

O histórico familiar e a cor da pele (principalmente negra) também aumentam as chances do surgimento da doença. “Por isso, a recomendação é visitar um urologista anualmente, em caráter preventivo”, explica o urologista.

Quando o tumor ainda não avançou na camada externa da glândula ou não atingiu outros órgãos, o tratamento mais indicado é a cirurgia, onde é feita toda a retirada da próstata. Também podem ser usados como tratamentos a radioterapia e bloqueio hormonal. Já quando o tumor sai da próstata, já indica um sinal de doença avançada.

Fernando Almeida lembra ainda que o acompanhamento médico e clínico é essencial. “A prevenção é importante. Se detectado na fase inicial, a chance de cura do câncer de próstata acontece em 90% a 95% dos casos”, revela o urologista. Uma vez detectado precocemente e tratado de maneira adequada, as chances de mortes nos homens em razão do câncer de próstata diminuem.

Fonte: revistahospitaisbrasil.com.br

PetraMedicina

39fa19ff00000578-3896352-image-a-83_1478071759314

destaque

imageshare-img movember-mustaches

Basquetebol é bom para o coração!

Em uma entrevista muito interessante feita com Tim Howell!
Um professor assistente de fisioterapia e treinamento esportivo em Saint Louis University em Missouri, Estados Unidos! Ele dizia que:

“O basquetebol é bom para o coração, porque ele pode ajudá-lo a desenvolver a resistência cardiovascular e reduzir o risco de doença cardíaca e acidente vascular cerebral, disse ele em um comunicado de imprensa da universidade.

O jogo também ajuda a desenvolver tanto a força superior e inferior do corpo. Ter músculos fortes ajuda seu equilíbrio e reduz o risco de cair, disse Howell. Você também vai perder gordura. Dependendo de sua intensidade, você pode queimar 630 – 750 calorias ou mais por hora quando joga basquete.

Pular é outra exigência física do basquete que  ajuda a desenvolver e melhorar a saúde dos ossos. Quanto mais forte os seus ossos, a menos que sejam susceptíveis de quebrar.
Basquetebol melhora a coordenação mão-olho e ajuda a construir a consciência espacial, o que significa que seu corpo sabe onde está no espaço e no tempo. Por que isso é importante? Pergunte a um gato, disse Howell. Percepção espacial é por isso que eles sempre caem de pé”.

Os benefícios para saúde do basquete

  • queimar calorias (uma hora de basquete pode queimar 630-750 calorias)
  • melhorar a resistência
  • melhorar o equilíbrio e coordenação
  • desenvolver a concentração e autodisciplina
  • construir músculos definidos.

Equipamentos para jogar basquete

  • Tênis de basquete ou calçados esportivos que fornecem suporte boa tornozelo, para não torcer com facilidade, já que o pulo é constante
  • protetores bucais
  • joelheiras e cotoveleiras de proteção.

Lesões comuns

  • Entorse de tornozelo
  • Pancadas nas pontas dos dedos – pegar a bola de forma incorreta poderia ferir os ligamentos e ossos na ponta dos seus dedos
  • Entorse no joelho e torções
  • Contudo a pratica de Basquete é muito importante para saúde, trata-se de um esporte que pode ser praticado ao ar livre ou em grupos de pessoas,queima tanto ou mais calorias que uma aula de Jump ou musculação dependendo de seu nível, e melhora significativamente sua saúde mental e Física.
  • Espero que essas dias tenham sido uteis e boas cestas!

Fonte: dieta-definitiva.com

PetraMedicina

bask3

bask2

Outubro Rosa

Na década de 1990, nasce o movimento conhecido como Outubro Rosa, para estimular a participação da população no controle do câncer de mama. A data é celebrada anualmente, com o objetivo de compartilhar informações sobre o câncer de mama, promover a conscientização sobre a doença, proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade.

O INCA participa do movimento desde 2010, promove eventos técnicos, debates e apresentações sobre o tema, assim como produz materiais e outros recursos educativos para disseminar informações sobre prevenção e detecção precoce da doença.

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor. Há vários tipos de câncer de mama. Alguns tipos têm desenvolvimento rápido enquanto outros são mais lentos.

Para o Brasil, em 2016, são esperados 57.960 casos novos de câncer de mama. Tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma, o câncer de mama responde por cerca de 25% dos casos novos a cada ano. Especificamente no Brasil, esse percentual é um pouco mais elevado e chega a 28,1%. Sem considerar os tumores de pele não melanoma, esse tipo de câncer é o mais frequente nas mulheres das Regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste.

Existe tratamento para câncer de mama, e o Ministério da Saúde oferece atendimento por meio do Sistema Único de Saúde, o SUS.

Cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis como:

  • Praticar atividade física regularmente;
  • Alimentar-se de forma saudável;
  • Manter o peso corporal adequado;
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Amamentar

Fonte: inca.gov.br

PetraMedicina

outubro-rosa2

Alongamento X Aquecimento: Quando fazer?

Quem costuma praticar atividade física com frequência, já deve ter tido as seguintes dúvidas: É preciso fazer alongamento antes ou depois dos exercícios? E o aquecimento, é mesmo necessário?

Alguns minutos antes de ser submetido a atividades que irão demandar bastante esforço, como musculação, corrida, natação ou até mesmo uma aula de dança, o corpo precisa ser “avisado”.  E é aí que entra o aquecimento, que deve incluir cerca de 15 repetições do mesmo movimento. Nas Olimpíadas, por exemplo, chamou a atenção a cena dos nadadores realizando movimentos amplos, que incluíam batidas nas costas, para se aquecer antes de entrar na piscina.

“O aquecimento deve ser feito antes de qualquer prática esportiva e serve para elevar a temperatura do corpo, a frequência cardíaca, a respiração e a pressão arterial, além de provocar uma vasodilatação que vai levar mais oxigênio para os músculos e promover um metabolismo aeróbico (que consome oxigênio)”, sintetiza o dr. Fabiano Cunha, ortopedista e médico do esporte do Hospital Santa Paula, em São Paulo.

Então, antes de praticar musculação, por exemplo, faça cerca de 20 repetições dos exercícios com uma carga mais leve do que você está acostumado. Isso vale tanto para os membros superiores quanto para os inferiores. Agora, se você for correr, movimente o tronco e o quadril, ande em zigue-zague, faça um trote leve e pequenos pulos.  Movimentando as articulações, há um aumento da lubrificação. “Uma rotina de aquecimento de 10 minutos é bastante eficiente. Em dias mais frios, o ideal é aquecer por um tempo um pouco mais longo”, destaca Diego Leite de Barros, fisiologista do esporte do HCor (Hospital do Coração) e diretor da DLB Assessoria Esportiva.

Em relação aos alongamentos, saiba que apenas esticar os membros não é suficiente para prevenir lesões. “Esse alongamento rápido e de curtíssima duração, chamado de pré-participação pode gerar até uma distensão muscular, já que o músculo não está aquecido. O recomendado é sempre executar uma sessão de aquecimento muscular antes de alongar”, explica Barros.

Então quer dizer que não devemos fazer alongamento? Ao contrário, ele é de extrema importância para aumentar a flexibilidade e a amplitude do movimento e buscar a elasticidade máxima do músculo dentro do limite do corpo, mas ele deve ser feito de maneira intensa e consciente. Por exemplo, há aulas específicas de alongamento que duram mais de 30 minutos e ajudam a alongar vários músculos do corpo. Atividades como yoga e pilates também são excelentes. Você pode programar sessões de alongamento em períodos distantes do seu treino, ou então em dias alternados.

Ao término da prática de exercícios físicos é importante não parar abruptamente, pois os marcadores corporais (pressão, temperatura, respiração) precisam voltar ao normal. É possível realizar alongamentos após o exercício, porém, recomenda-se que a intensidade seja menor, com caráter de relaxamento muscular. Para isso, é importante, inclusive, prestar atenção na respiração.

“Mas atenção, para potencializar o ganho de flexibilidade a recomendação é que a fibra muscular não esteja estressada. Dessa forma, caso a proposta do alongamento seja aumentar a amplitude de movimento, o ideal é que não seja feito após atividades físicas intensas”, finaliza Barros.

Fonte: drauziovarella.com.br

PetraMedicina

Tratamento de piscinas com ozônio

Muitos de vocês já ouviram falar que o cloro de piscinas não faz bem para a saúde. Uns sabem que faz mal, pois resseca os cabelos, causa ardência nos olhos, deixa cheiro forte na água. E realmente grande parte desta conversa é verdadeira! Existem estudos que apontam que a utilização de determinados tipos de compostos clorados em piscinas podem gerar subprodutos cancerígenos! O ozônio, ou trioxigênio,  é um gás azulado gerado a partir do gás oxigênio. Este mesmo oxigênio que respiramos! O gás ozônio é formado por moléculas muito mais instáveis que sua molécula com apenas dois átomos, o oxigênio (O2). Por isso geralmente não se pode manter o ozônio por muito tempo, ele acaba se desfazendo e formando mais moléculas de oxigênio. O ozônio é um oxidante superpotente. Ele pode ser formado a partir do ar ambiente. A molécula do ozônio se decompõe em oxigênio, não deixando resíduos no ambiente. O ozônio mata bactérias, fungos, leveduras e protozoários. O ozônio MATA ATÉ VÍRUS! O ozônio é 100 vezes mais eficaz que o cloro, ou seja, ele é mais potente quando aplicado para eliminar microrganismos nocivos à saúde humana.

  • O ozônio age 3120 vezes mais rápido que o cloro, agilizando qualquer processo de desinfecção de piscinas.
  • O tratamento de piscinas com ozônio não resseca a pele dos banhistas, garantindo maior prazer e conforto.
  • O tratamento de piscinas com este gás também não irrita os olhos.
  • O sistema de geração e transferência de ozônio é ecologicamente correto uma vez que utiliza como única matéria prima o ar e libera este mesmo gás como resíduo.
  • O sistema de tratamento de piscinas com ozônio também é ecologicamente correto pois consome pouquíssima energia elétrica.
  • Ao contrário da água tratada com cloro, aquela que é tratada com ozônio fica incolor, cristalina, sem cheiro nem resíduos químicos.
  • Piscinas tratadas com ozônio não desbotam a roupa dos banhistas.
  • O sistema de tratamento com ozônio é totalmente automático, dispensando o manuseio de produtos perigosos como o cloro, que, se inalado, pode causar sérios danos à saúde.
  • Alguns microrganismos desenvolvem defesas contra a ação oxidante do cloro e acabam se tornando resistentes, o que não ocorre com o ozônio.
  • Dispensa gastos mensais com produtos químicos pois, como já dissemos, utiliza o ar como matéria prima.
  • Ao contrário do tratamento com cloro, a utilização do ozônio não requer a correção frequente do pH da piscina facilitando a vida do dono da piscina.
  • O ozônio não provoca corrosões nos equipamentos da piscina, uma vez que, se instalado de forma correta, ele nem chega a entrar em contato com a bomba, o filtro e outros equipamentos da piscina.

Enfim, são vários, inúmeros motivos para abandonar o cloro e partir para uma solução melhor e mais prática!

Fonte: poolpiscina

poll3

pool2

Veja alguns motivos para você comer mais alimentos orgânicos

Alimentação orgânica ainda gera certa controvérsia. É fato que os seus produtos estão livres de agrotóxicos, pesticidas e antibióticos, mas a real consequência de estar mais ou menos exposto ainda é alvo de pesquisas científicas.

Ainda assim, como os limites do uso de agrotóxicos são baseados em testes com animais (e não humanos), alimentos orgânicos são uma ótima aposta para quem está disposto a gastar mais no mercado. Foi o que explicou a nutricionista Lily Soutter para a Marie Claire norte-americana. Além disso, estudos recentes vêm indicando que produtos orgânicos podem ter maiores quantidades de antioxidantes e ômega-3, substâncias que ajudam a prevenir diversas doenças.

Mais antioxidantes

Os antioxidantes, substâncias capazes de prevenir doenças cardíacas e câncer, ajudam os vegetais a lutarem contra fatores do meio ambiente (como pragas e seca) sem apoiarem-se nos agrotóxicos. Uma pesquisa da Universidade de Newcastle, na Grã-Bretanha, concluiu que alimentos orgânicos têm uma quantidade entre 19% a 69% maior de antioxidantes do que outros produtos.

Menos substâncias químicas

Embora existam limites para uso de pesticida, os estudos que determinaram essa quantidade foram testes em animais, e não em seres humanos. Por isso, não é possível prever com absoluta certeza quais serão os efeitos de tais substâncias nas pessoas e nem as consequências da exposição prolongada e cumulativa para o corpo.

 Mais gorduras saudáveis

Outro estudo da Universidade de Newcastle, este feito em 2016, mostrou que leite e carne orgânicos contêm uma quantidade de ômega-3, que são gorduras saudáveis, cerca de 50% maior do que o tipo comum. E essa é uma vantagem e tanto: o ômega-3 está associado à prevenção de doenças que afetam os sistemas cardiovascular, nervoso e imunológico.

Menos antibióticos

Carne, peixe e leite não orgânicos podem ser fontes com excesso surpreendente de pesticidas e antibióticos. Isso acontece porque as substâncias químicas usadas na ração de animais podem se acumular no tecido de gordura deles. Além disso, é comum que produtores de frango pesem a mão no uso de antibiótico nos animais. Alguns estudos sugerem que a exposição a esses compostos pode fazer com que uma pessoa desenvolve resistência a antibióticos, um problema que já é considerado uma das maiores ameaças à saúde humana pela OMS.

Fonte: revistamarieclaire.globo.com

PetraMedicina

Receita de suco funcional de laranja, gengibre e gojiberry

Um suco que leva laranja, gengibre e gojiberry em sua composição pode ser um ótimo aliado da saúde e ainda auxiliar no processo de emagrecimento.

Conhecida como a fruta do bom humor, a gojiberry contém importantes aminoácidos, como o triptofano e a isoleucina, que contribuem para a produção da serotonina – o neurotransmissor do humor, prazer e bem estar. Além disso, ela possui cálcio, magnésio, selênio, ferro, vitamina C e etacaroteno, que é um importante antioxidante que regula os níveis de pressão arterial e melhora a resistência dos vasos sanguíneos.

Já o gengibre costuma estar presente nas receitas de sucos funcionais por ser um ótimo termogênico natural. Além disso, ele melhora a digestão e o sistema imunológico e tem ação anti-inflamatória.

Veja a seguir como preparar a receita de suco funcional de laranja, gengibre e gojiberry, sugerida pela nutricionista Priscila Busch, do Esquinica Natural, de Campinas, em São Paulo.

Ingredientes
– Suco de 1 laranja
– 3 pedaços médios de abacaxi
– 1 pedaço pequeno de gengibre picado
– 200 ml de água*
– Uma colher de sopa de gojiberry
*Prefira o consumo ao natural, sem adição de açúcar refinado, ou adoçantes sintéticos.

Modo de Preparo
Misture tudo no liquidificador e sirva à vontade.

Fonte: corpoacorpo.uol.com.br

PetraMedicina

Grávidas podem correr até que mês da gestação?

Até que mês de gravidez posso continuar correndo?

O crescimento da barriga e o peso extra conforme o bebê se desenvolve podem influenciar sua disposição para treinar, mas não existe um limite para parar de correr durante a gestação, desde que um médico a acompanhe de perto.

Os hormônios da gravidez atuam deixando as articulações mais frouxas e o corpo inchado, o que torna a prática mais cansativa e arriscada, já que o risco de uma lesão no joelho ou tornozelo fica maior.

O ideal é contar com um profissional de educação física capacitado para orientá-la nesta fase da vida e controlar a diminuição adequada de frequência, ritmo e volume de treino à medida que a gestação avança.

Fonte: corpoacorpo.uol.com.br

PetraMedicina